sábado, 21 de dezembro de 2013

Sem Legenda



Há fotos que realmente dispensariam legenda. 
Mas em alguns casos talvez ficassem um pouco soltas pelo desconhecimento de algumas referências.
No  caso desta foto , a não ser a identidade da modelo, desconheço estas referências ( seria um filme, um flagrante pessoal ?) 
Fico sem saber, portanto, se a simplicidade que ela transmite é produzida ou não.
Em se tratando, a jovem que nos fita, de quem se trata, possivelmente não.
De qualquer modo esta simplicidade, quer seja simulada ou real, considerando-se apenas a imagem, é essencial.
E vem carregada de leituras.
Algumas estéticas, outras sentimentais, outras ainda evocativas de um estado de pureza embora, dependendo do olhar, talvez portadoras de sensualidade. 
Ou também, como no caso, de uma profunda, até mesmo dolorosa, nostalgia.

sábado, 2 de novembro de 2013

Distante Moscou


Seria um sonho? Uma visão?
Ultimamente misturavam-se em sua mente fatos ocorridos com situações nas quais não conseguia distinguir muito bem a origem.
De modo que olhava para a cena diante de seus olhos na distante Moscou, com o edifício Kotelnicheskaya Embankment ao fundo, e procurava entender o que via.
Uma noiva a caminho do altar, atrasada como uma noiva comum?
Ou apenas uma modelo posando para um fotógrafo à procura de um resultado criativo?
Parecia ouvir, no entanto, a fazê-lo recuar de interpretações mais prosaicas, ecos de antigas manifestações, sons e gritos vindos do passado, convocando para a revolução.
Mas nada disso parecia estampado ali naquela cena.
Apenas, talvez, o vazio de um grande espaço o qual a esperança de uma jovem mulher, preparando-se para sair de bicicleta ao encontro de seu amor e seu destino, servia para preencher.
Enfim, não saberia mais o que dizer.
A não ser acrescentar que, junto com o leve vento que se percebia soprar, o céu nublado parecia anunciar uma virada do tempo.
Iria chover? 

domingo, 21 de abril de 2013

Outono

Da tarde já para seu final  reúnem-se amigas para conversar e aproveitar os últimos raios de sol.
São conversas guardadas para este momento de pausa dominical. 
Estão alegres pelo reencontro e pelas notícias e confidências que vão trocando ali mesmo  no meio da rua, no chão de terra.
Esquecem-se do tempo, do entardercer que vem chegando e com ele, o friozinho da noite .
É outono...

foto Daniel Neuer

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Mil Palavras

É usual dizer-se que uma imagem vale por mil palavras.
Esta,  por exemplo, é carregada de leituras, 
Tantas que qualquer uma, por mais elaborada, estaria deixando de lado outras tantas igualmente ricas.
Calo-me, portanto, e deixo-me ficar na calçada, entontecido, animicamente metamorfoseado em bicicleta.


.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Bicicleta de La Paz

La Paz é  um lugarejo, próximo a Colonia no Uruguay, onde Eduardo Prats deparou-se com esta bicicleta. ..
Prats é velejador, dono do veleiro Cariel II, e chegou até ali , durante a Páscoa, vindo de barco de Buenos Aires até Colonia.
E esta é a visão, de uma bicicleta imersa em luz,  que num dado momento em sua peregrinação, surge diante de seus olhos.
Uma visão, justamente, de paz , de transcendência.
Sensação transmitida pela bicicleta sob uma luz celestial , perfeitamente imóvel e harmoniosa na magia do ambiente. 
Como uma revelação.
Esta bicicleta deveria ser mantida onde se encontra ou removida para um santuário tornando La Paz um destino de peregrinação para os crentes do ciclismo do mundo inteiro.
Crentes à procura de curas, de milagres.
Como da Ressureição  ...

.


sexta-feira, 29 de março de 2013

sábado, 23 de março de 2013

The Post-Petroleum Age

Daniel Charles Piraro (born 1958) is a painter, illustrator and cartoonist best known for his award-winning syndicated cartoon panel Bizarro. Piraro's cartoons have been reprinted in 16 book collections (as of 2012). He has also written three books of prose.
When he finally was given a Reuben Award in 2010 , cartoonist-illustrator Steve Greenberg commented:": "Perhaps they finally gave him the award to get him off the ballot after so many consecutive years on it; the rule (at least since multiple-winner Bill Watterson’s Calvin and Hobbes) for the Reuben Award is once-only per creator.
In any event, this is overdue recognition of a strip that is among the best drawn (for me, up there with 9 Chickweed Lane and Non Sequitur) and inventive (for me, up there with Liō and Zits).
Bizarro has also given the world of comic strips signature icons, such as his ongoing placements of eyeballs, pieces of pie, aliens in space ships and somewhat menacing bunnies. It’s the comics world’s closest brush with the world of surrealist paintings (and by the way, Piraro is an excellent surrealist painter as well).

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Saturno de José , Pedalando no Som



Respeitável público, em 2012 lança seu primeiro EP a banda da região metropolitana de Porto Alegre Saturno de José. O grupo foi premiado pelo projeto Funproarte da cidade de Esteio/RS e ganhou financiamento para a produção do disco, gravado, mixado e masterizado pelo paciente e soberano Alexandre Birck (Graforreia Xilarmônica) no estúdio Music Box, na capital. Mas antes de Saturno, os cinco rapazes orbitaram por outros planetas. Daniel de Bem (vocal, violão, baixo e teclados) e Ivan Lemos (vocal, teclados, escaleta e violão) eram parceiros no projeto Fidélio. Assim como Hiozer Rezoi (vocal, violão e baixo) e Tiago Sudatti (vocal, bateria e percussão), que estavam em outra banda de rock, a Ecos Ecléticos. A admiração era mútua e o caminho aberto para todos. Com o término dos grupos em 2008, os músicos começaram a ensaiar juntos e explorar musicalidades diferentes. Encontrar novas possibilidades na música, misturar as influências e sentir o frio na barriga. Instrumentos incomuns para jovens do rock começaram a colorir os arranjos e rapidamente sambas e marchinhas foram surgindo. Foi o caso de Felicidade (Hiozer Rezoi) e Ladrões de Alegria (Daniel de Bem, Hiozer Rezoi e Ivan Lemos), que cresceram nos primeiros meses de banda e, assim como as outras músicas do EP, incorporaram arranjos de autoria de todos os membros do grupo. Na São Leopoldo Fest de 2010, o grupo conheceu Gibran Vargas (flauta e clarinete). A indicação dos amigos estava certa: a sonoridade da banda era perfeita para ele. Os músicos marcaram um ensaio e deixaram a felicidade vir. Quando o primeiro riff de flauta entrou sobre os acordes de Fonte da Juventude, foi amor à primeira vista. A poesia do grupo é discreta e elegante. Através dela falam as injustiças sociais (Soberano), os avós para seus netos (Adoçar) e os sentimentos que não podem ser expressos de maneira simples (Ladrões de Alegria). Mas acima de tudo, sobre rodopios de alegrias e sofrer (Ballet Atmosférico), está a juventude, gritando como um circo em polvorosa e mostrando o que melhor sabe fazer: viver inspiradamente. Depois de navegar nessa mistura, não se preocupe se para casa você não souber voltar. (   Anelise De Carli )

sábado, 19 de janeiro de 2013

Um Ciclista Anônimo descoberto por Rogério Franck

Rogério Franck da Silveira, formado em Artes Visuais e artista de grande inspiração, envia esta imagem de sua autoria com a observação: "vai aí um ciclista anônimo"...
E a imagem coincide de tal forma com esta impressão que qualquer palavra pareceria supérflua.
Por isto apenas deixo-me submergir na simplicidade e no anonimato do momento.
Não ousaria profaná-lo...