terça-feira, 2 de agosto de 2011

Interlúdio


Em minhas andanças deparo-me com esta belíssima senda em Jurerê , Florianópolis, e já me preparo , como num sonho, para atravessá-la de bicicleta, apreciando o corredor verde ladeado de vegetação em ambos os lados.
No final deste corredor a praia nos aguarda.
Mas o sonho não dura muito.
Basta aproximar-me para constatar que ciclistas, incluídos na mesma categoria que skatistas e motociclistas, estão barrados.
Não me deixo, no entanto, desanimar.
Desço da bicicleta e atravessamos os dois, eu e minha bicicleta, lado a lado, como se de mãos dadas, a pequena vereda que nos leva ao mar .
O encanto, assim, nem chega a ser desfeito.


2 comentários:

  1. Ciclistas Anônimos2 de agosto de 2011 07:14

    ... as bicicletas são delicadas e o convívio com elas nos torna, também, um pouco mais sensíveis...

    ResponderExcluir

Talvez não saiba mas pode ser que tenhamos, em outros momentos, pedalado juntos. Pedalado em todos os terrenos que a bicicleta propicia entre eles os da criação e participação. Se chegou até aqui é quase certo que sim.Escreva seu comentário. Ele é parte fundamental deste processo.