segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Bicicletas do Interior

Enquanto nas cidades "grandes" ( Porto Alegre, Rio, São Paulo, etc.) os ciclistas lutam desesperadamente para garantir um espaço de circulação, em cidades pequenas, do "interior", este espaço parece ainda garantido. São Lourenço do Sul, a respeito da qual ainda me deterei melhor, mostra-se como um exemplo bem significativo desta situação.
Mas outros exemplos, por certo, poderiam ser apresentados.
Retornando de uma navegada , passo por Tapes e registro algumas cenas onde isto se evidencia.
Carros, pedestres e ciclistas, assim como outros eventuais usuários das vias, parecem conviver em harmonia. As bicicletas, inclusive, passam a fazer parte da paisagem urbana, tranquilamente estacionadas nas calçadas.
A foto ilustra uma destas cenas. Diante do prédio dos Correios, duas bicicletas disfrutam de toda a tranquilidade que o ambiente proporciona. Tranquilidade, claro, que deve ser sentida também por seus proprietários.
Estas cidades constituem-se assim em oásis ou paraísos onde refugiarem-se os ciclistas do estresse e da quase caçada vivenciada nos grandes centros.
Quem sabe investimos em reunirmos amantes do ciclismo em cidades como estas para passarem suas férias pedalando?

4 comentários:

  1. muito bom!!!
    isso só faz crescer minha paixão pelas cidades pequenas...
    oq tu acha dessa?
    http://www.flickr.com/photos/fernandatomiello/3095389900/
    interior do interior!

    ResponderExcluir
  2. Talvez haja toda essa harmonia porque existe espaço para todos, coisa que não acontece nos grandes centros urbanos...

    Muito bom! Não me vejo um dia morando numa cidade como Porto Alegre (minha São Leopoldo é, digamos, um meio termo entre capital e interior) mas sim em algum lugar bem calmo...

    ResponderExcluir
  3. P.R.Baptista (Ciclistas Anônimos)2 de fevereiro de 2009 16:03

    Fernanda, a foto é muito especial, usas um efeito, P&B com o quadro colorido, muito bem explorado. Merece um comentário que vou fazer a seguir.

    ResponderExcluir
  4. Maravilha essa foto, captou bem o espírito da coisa, da vontade de mergulhar de cabeça e ficar por lá, é o sonho de todo o ciclista poder compartilhar as vias com segurança como em muitas pacatas cidades do interior.
    Mas eu gostaria que fosse assim aqui onde vivo (São Paulo), invejo essas pessoas que vivem com aquela harmonia e tranquilidade sem pressa de pegar o ônibus ou preocupado em chegar atrasado e principalmente de não ser atropelado a pé ou de bike, mas hoje infelizmente acostumado com o inferno talvez não conseguisse viver no paraíso, a agitação e adrenalina da cidade grande vicia e a menos que tivesse uma atividade o dia todo até a noite acho que sentiria falta dessa bagunça que é aqui.
    Mas o movimento de ciclistas esta aumentando e a tendência é aumentar cada vez mais, um dia as “autoridades” vão começar a enxergar que a bike é muito mais doque um mero instrumento de lazer nos finais de semana e aos poucos as coisas irão mudar nos grandes centros e aquela foto poderá não mais fazer inveja porque aquele lugar poderá ser um lugar em qualquer cidade do país, até mesmo nos grandes centros.

    Abraços

    ResponderExcluir

Talvez não saiba mas pode ser que tenhamos, em outros momentos, pedalado juntos. Pedalado em todos os terrenos que a bicicleta propicia entre eles os da criação e participação. Se chegou até aqui é quase certo que sim.Escreva seu comentário. Ele é parte fundamental deste processo.